REABILITAÇÃO DE EDIFÍCIO DE HABITAÇÃO 
RUA DOS DOURADORES 96 LISBOA
2011-2020

PROMOTOR: SCML

O prédio histórico situa-se na baixa pombalina e oferece à cidade 15 espaços de habitação e 6 de comércio e serviços, respeitando a memória do passado e inovando com o conhecimento das práticas da arquitectura actuais compativeis com a pré-existência. Trata-se da reabilitação de um imóvel de rendimento do início do século XIX, com 216m2 de área de implantação e com umna área bruta total de 1163m2. Com 7 pisos de uso misto, era anteriormente composto por 3 lojas térreas, serviços na sobreloja e 5 pisos de habitação, com 2 fracções por piso. O último piso à mansart era revestido a telha de escama preta.

O imóvel apresenta planta rectangular com saguão e caixa de escada central de leque, de lanços paralelos, e cobertura em telhado de 3 águas (por alteração aquando da construçao do sétimo piso). As fachadas orientadas a sul e poente, mantêm as suas características originais, com embasamento de cantaria e no final do século XIX foram revestidas com azulejo de padrão fitomórfico em tons de verde. Apresentam janelas de sacada e de peitoril em madeira e com molduras de cantaria de desenho pombalino; no quarto pido de habitação, surgem janelas de sacada, com guarda corrida e papagaios em ferro forjado.

Desta obra, resulta um aumento do número de fogos disponíveis, mantendo as três lojas no piso térreo e nos pisos superiores de serviços e habitação aumenta um fogo por piso passando assim a 3 frações por piso, e totalizando 15 fogos para habitação, 3 para serviços e 3 para comércio. Estas frações de rendimento têm áreas compreendidas entre os 41m2 e os 69m2.

Neste imóvel  até então quase devoluto, foi levada a cabo uma profunda reabilitação, que manteve fachadas e os restantes elementos estruturais verticais de paredes frontais, e caixa de escadas. Foi reconstruída e optimizada toda a estrutura de pavimentos, preservando sempre técnicas,  princípois construtivos, elementos e revestimentos originais ou integrados na história do edifício, nomeadamente soalhos de madeira de pinho em salas e quartos e o mosaico hidráulico nas cozinhas e instalações sanitárias, tectos planos e outros em forro de madeira (saia e camisa) e restantes carpintarias. Preservaram-se elementos históricos como azulejos (exteriores, na caixa de escadas, cozinhas), cantarias inclusive as das chaminés das cozinhas e elementos metálicos de guardas.

Em resumo os objectivos desta intervenção foram:

  • A revitalização do objecto construído e do seu contexto urbano original;

  • Salvaguardar a identidade lógica e carácter construtivos do edificado, com recurso a técnicas pouco intrusivas;

  • Promover um programa de ocupaçao misto, dinâmico e diverso, com novas formas de habitar;

  • Dotar a pré-existência de soluções que respondam às exigências funcionais do presente, de forma a que ambas se valorizem mutuamente;

  • Reverter as dissonâncias à lógica dos principios construtivos originais do edificio, da unidade de quarteirão e do conjunto urbano em que se insere;

  • Melhorar o conforto térmico e acústico, com soluções preferencialmente passivas e ambientalmente optimizadas; - Satisfazer soluções de salubridade e qualidade do ar, adotando o mais possível sistemas de ventilação e iluminação naturais;

  • Preservar e recuperar elementos de interesse histórico e artístico significativos que contribuem para a leitura histórica do conjunto.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

PROJETO REALIZADO EM CO-AUTORIA COM RODOLFO GONÇALVES